Primeira revelação: Olympus 35 SP

A Olympus 35 SP foi a primeira câmera que comprei pela internet (fora as compras na Lomography) e não pretendo repeti a operação, pois é bastante arriscado. O problema é que as pessoas que vendem câmeras antigas por um preço razoável nem sempre entendem bem sobre o equipamento e seus possíveis problemas não tão visíveis, e se por fora a câmera estava ótima (mesmo!), sua lente me fez perder alguns dinheiros para a limpeza, pois estava com fungos em nível bem avançado.

Mesmo assim, fiquei feliz, pois ela está superbonita e eu queria uma rangefinder compacta há bastante tempo já. O objetivo inicial era uma Canonet – e eu quasei comprei uma na feira do Bixiga em outubro, mas achei que estava muito destruída, arranhada. No final, resolvi esperar um pouco mais e achei essa SP, que está realmente bonita e funcional.

SpA 35 SP tem uma lente 42 mm com abertura 1.7, o que é sempre lindo. A velocidade varia de 1/500 a 1 segundo. Ela tem um fotômetro e a bateria até existe, mas nem fui atrás disso. Acho que é bem tranquilo se virar sem o fotômetro depois que acostumamos com as analógicas manuais e o resultado no filme deu bastante certo.

Sp-2

Para focar, a lente tem uma chavinha, que torna bem simples o processo, mas o rangefinder no visor não é tão claro quanto eu gostaria, e o foco foi o ponto no qual eu mais me bati. Gostei do resultado do primeiro filme, achei que minhas combinações de velocidade e abertura deram certo, com sucesso até em fotos noturnas. Mas o foco foi a questão crucial, e como quero levar essa câmera nas férias (pois ela é bem mais leve e pequena que a minha favorita Canon AT-1) vou precisar praticar mais até pegar o jeito. Até porque, nas fotos que eu consegui acertar o foco, ele ficou muito preciso.

Mas, sem mais mimimi de foco, vamos às fotos!

340187DANIELE1-R1-30-6A

Meu sobrinho, #jimidogueto.

340187DANIELE1-R1-27-9A

340187DANIELE1-R1-24-12A

Sempre peço pro Ed tirar fotos minhas e ele se bate com o foco manual, dessa vez deu certo. ;)

340187DANIELE1-R1-26-10A 340187DANIELE1-R1-20-16A 340187DANIELE1-R1-17-19A 340187DANIELE1-R1-16-20A 340187DANIELE1-R1-06-30A 340187DANIELE1-R1-05-31A 340187DANIELE1-R1-03-33A

Ah! O filme que eu usei foi o superbásico Kodak Ultramax, que é bem previsível e ótimo para testes.
É isso. ;)

 

Revelação: Kodak Colorplus ISO 200 puxado para 800

Puxar o filme é a nova onda do momento? Não sei, mas por aqui tem sido. Sou fã declarada de ISO alto e quando pego um filme de valor baixo na mão agora já mudo. Isso tem acontecido, em especial, por conta da oferta de filmes slide sempre com ISO baixo, mas acabo fazendo isso com os negativos também.

O teste da vez foi com um Kodak Colorplus ISO 200. Puxei ele para 800, mas confesso que esperava ver mais grãos, cores um pouco mais dramáticas. Mesmo assim, considerando que foi em negativo e que, portanto, não foi revelação em processo cruzado, achei que o resultado ficou bem legal, e com cores fortes, próximas as da revelação do X-pro da Lomography puxado para 400.

Usei esse filme no dia das mães, para registrar o churrasco com a família reunida. Estava um dia bonito, com sol, o que ajudou bastante. As fotos de família ficam pra postagem de Facebook mesmo, rs. Mas escolhi algumas imagens para compartilhar aqui.

Ah, a câmera que eu usei foi a Canon EOS 3000n.

54540001

54540003

54540004

Jardim da vó. <3

54540035

Dia de Atletiba.

54540027

Harley dos primos.
Essa foto ficou escura por culpa da anta por trás da câmera mesmo, haha.

54540007

Marido, sempre.

É isso. Gostei desse filme, sabe?

Dani