Sobre São Paulo e a felicidade

Existem aqueles que falam que ela é feia, que é suja, que fede… Desculpa aê, mas eu realmente não vejo as coisas com o copo meio vazio. Perfeita ela não é, mas nem é Curitiba (que de européia só tem o clima frio mesmo).

Amo São Paulo.

Talvez eu a me por não morar lá… Isso é possível. Mas a verdade é que a cada viagem eu me encanto mais pelos cantos que ela tem a me oferecer. São curiosidades, diversidades e possibilidades incríveis, coisas que nem mesmo em uma outra cidade grande vamos encontrar.

Dessa vez, o motivo da viagem era mais do que maravilhoso: Black Sabbath. Ao vivo. De verdade! O show foi incrível e muito emocionante, ainda com a sua banda favorita de brinde, abrindo com um show maravilhoso – quinta vez de Megadeth. E aí a gente aproveitou pra esticar um pouquinho a viagem e conhecer mais coisas e lugares que não estiveram nos roteiros anteriores. E é isso que esse post vem trazer…

Essas fotos eu fiz com a Canon AT-1, que se mostrou uma companheira de viagem regular. Ela é pesada e acaba chamando a atenção, mais do que eu gostaria. Mas as imagens que saem dela são o suficiente pra me convencer de levar ela por aí de novo. O filme foi um simplão, Kodak Ultramax 400. Queria ter comprado mais filmes na Lomography, mas a loja fechou no sábado dia 12. =/

Então vamos lá!

Passarela das Noivas

Passarela das Noivas

Museu da Língua Portuguesa: confesso que esperava mais acervo, apesar da beleza do lugar.

Museu da Língua Portuguesa: confesso que esperava mais acervo, apesar da beleza do lugar.

Estação da Luz

Estação da Luz: lá a gente já tinha ido uma outra vez, mas é sempre bom para os olhos…

Estação da Luz

Estação da Luz

Liberdade

Liberdade: confesso que esperava mais… Apesar de comer MUITO bem por lá, achei o local bem menor do que parecia e a feira não era tão legal quanto eu imaginava.

Liberdade

Liberdade

Starbucks: sempre um ponto turístico para os curitibanos. Acho os ambientes agradáveis e os frapuccinos maravilhosos! Uma pena ainda não ter aqui... =/

Starbucks: sempre um ponto turístico para os curitibanos. Acho os ambientes agradáveis e os frapuccinos maravilhosos! Uma pena ainda não ter aqui… =/

Av. Paulista

Av. Paulista: mesmo escura, quis postar essa imagem. Adooooro andar pela Paulista, especialmente a noite. Sempre tem algo muito fotografável.

Feirinha de antiguidades do vão do MASP: todo domingo. Muitas coisas legais, mas no geral os preços são um pouco elevados.

Feira de antiguidades do vão do MASP: todo domingo. Muitas coisas legais, mas no geral os preços são um pouco elevados.

Vão do MASP

...Mas, como podem ver, muita coisa apaixonante pra comprar.

…Mas, como podem ver, muita coisa apaixonante pra comprar.

Vão do MASP

A feira de antiguidads do Bixiga, essa sim, uma preciosidade!

A feira de antiguidades do Bixiga, essa sim, uma preciosidade!

Os companheiros de viagem. ;)

Os companheiros de viagem. ;)

O Adoniran, no Bixiga. Uma pena eu ter errado a mão no foco, justo com um cara tão bacana. =/

O Adoniran, no Bixiga. Uma pena eu ter errado a mão no foco, justo com um cara tão bacana. =/

Museu da Imagem e do Som com uma exposição excelente do Kubrick: vale a pena!

Museu da Imagem e do Som com uma exposição excelente do Kubrick: vale a pena!

Erro da viagem: sair de Curitiba com um filme só, crente que ia comprar mais em São Paulo. Não calculei uma coisa básica: no sábado era feriado. Apesar de muitas coisas estarem abertas, a Lomography fechou, e eu não encontrei mais nenhuma opção no meu caminho. Um filme só foi pouco, mas, definitivamente, foi bem aproveitado. Fica de lição!

Sobre a perfeição

Home

Uma foto perfeitamente imperfeita. Canon AT-1 – Kodak Ultramax 400 to 1600.

Como faço todos os dias, ligo o computador antes de começar a trabalhar e passo por posts do Facebook, novidades no Twitter, alguns portais e o amado e necessário Feedly (novo amor desde o final abrupto do relacionamento com o Google Reader).

Uma das leituras de hoje foi o post de um blog famoso por dar ~prêmios~ na internet criticando um blog sobre um casal feliz. O Dele e Dela é realmente legal, com textos bem escritos, mixtapes e, o que eu mais gosto: fotos lindas. Isso me basta como inspiração.

Mas o blog famoso quis dizer que isso era uma “fabricação”, que “não existe”, que “ninguém é tão feliz assim” e deixou no ar a pergunta do por que as pessoas tem a necessidade de criar a sua felicidade para a internet… “O que vale mais? Viver uma vida feliz ou aparentar uma vida feliz?

Existe uma porção de coisas que eu posso dizer sobre isso…

A primeira delas é: por que tem que ser mentira? Por que a sua vida não é tão boa assim (e talvez nunca seja) e você não consegue aceitar que alguém tenha essa vida feliz. Mas essa questão leva para o lado do ~recalque~, tão na moda nesta rede mundial de computadores, e eu não quero ser tão simplista.

Então vamos à segunda coisa: por que uma pessoa não pode mostrar apenas o lado bom da vida? Desculpa aê, mas não quero, nem acho que ninguém quer, ver brigas e mazelas da vida dos outros. Isso eu guardo pra mim. Isso está no privado. Agora, uma foto bonita, de um momento feliz, não me importo em dividir. Aliás, gosto. E divido porque gosto de ver os momentos felizes dos outros também. E quem não quer ver os momentos felizes… bem, não me siga. Simples assim.

A terceira coisa é: qual o problema de ser um casal feliz, minha gente? E por que tudo tem que ser tachado como “perfeito“? Me doí com o post, é verdade, por já ter recebido críticas semelhantes. Não vivo uma vida perfeita, não tenho um casamento perfeito, não tenho uma casa perfeita nem um gato perfeito. E nem digo que os tenho. Apenas tenho uma vida legal.

Se ao ver o conteúdo dos outros você acha que tudo é perfeito a conclusão é sua, e tão somente sua. E então, amigo, quem tem que lidar com os problemas é você, que está buscando a perfeição e que, de fato, nunca vai encontrá-la.

A vida é muito mais simples que isso.
As vezes a perfeição de um dia está apenas naquele pedacinho de chocolate delicioso, que você come nos cinco minutos de folga que a vida te dá.